É perigoso sintetizar
a Idade Média

MARIA ISABEL MORÁN CABANAS & JOSÉ EDUARDO FRANCO

Ensaios / 35
256 pp

Formato: 17cm x 24cm
ISBN: 978-989-680-161-8
Data de Publicação: Outubro de 2015
PVP: 21,90 euros
 

É perigoso sintetizar a Idade Média
Literatura medieval e interfaces europeias na obra de Mário Martins

Qualidade e caráter precursor definem a vasta obra publicada por Mário Martins sobre a Idade Média em Portugal. Ainda hoje a consulta dos seus trabalhos se nos apresenta como incontornável perante qualquer aproximação à história medieval das mentalidades e da espiritualidade.

M. I. Morán Cabanas e J. E. Franco convidam o leitor a navegar com o insigne jesuíta atra­vés dos séculos, partindo dos textos que ele tanto estudou e que nos informam sobre devo­ções e vivências religiosas, heróis e façanhas cavaleirescas, mitos que se sobrepõem à rea­lidade e todo um leque de comportamentos humanos descritos na época, ora num registo sério ora humorístico.

SOBRE OS AUTORES:
Maria Isabel Morán Cabanas. É doutorada em Filologia Galega e Professora Titular de Literatura Portuguesa na Universidade de Santiago de Compostela. Como investigadora, dedica-se ao estudo dos períodos medieval, renascentista e barroco sob uma perspetiva multidisciplinar e comparatista, assim como à revisitação dessas épocas na modernidade e contemporaneidade. Para além de múltiplos artigos e capítulos em volumes coletivos, publicou vários livros sobre o Cancioneiro Geral de Garcia de Resende, como Traje, gentileza e poesia. O campo semântico da moda e da vestimenta no Cancioneiro Geral (2001)ou Festa, teatralidade e escrita. Esboços dramáticos no Cancioneiro Geral (2003). É também coautora de diversas obras sobre lírica medieval: Glosas ao Cancioneiro Medieval Português, de Carolina Michaëlis de Vasconcelos (2004), O Amor que eu levei de Santiago. Roteiro da lírica medieval galego-portuguesa (2012) ou O caminho poético de Santiago (2014).
José Eduardo Franco. Historiador. É atualmente Investigador-Coordenador (com equiparação a Professor Catedrático) da Universidade Aberta, Diretor da Cátedra Convidada FCT/Infante Dom Henrique para os Estudos Insulares e a Globalização (FCT/Universidade Aberta/CLEPUL/APCA), Diretor-Adjunto do CLEPUL - Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e Académico Correspondente da Academia Portuguesa da História. Fez o doutoramento na EHESS de Paris (2004) e a agregação pela Universidade de Lisboa (2012). Concluiu com sucesso a coordenação de vários projetos de investigação de grande fôlego, entre os quais os volumes do Dicionário Histórico das Ordens, a Obra Completa do P. Manuel Antunes em 14 volumes e o projeto Arquivo Secreto do Vaticano publicado em 3 volumes. Do seu trabalho de investigação destacam-se os estudos aprofundados sobre Vieira, Fernando Oliveira e o humanismo moderno, os Jesuítas e o Marquês de Pombal. Dirige com Pedro Calafate o projeto “Vieira Global” que já resultou na publicação da Obra Completa do Padre António Vieira em 30 volumes. Dirige ainda com Carlos Fiolhais o projeto interdisciplinar Obras Pioneiras da Língua e Cultura Portuguesas em 30 volumes. Da sua vastíssima bibliografia destacam-se os seguintes livros: História da Cultura na Época Moderna (2015),  O Mito dos Jesuítas em Portugal e no Brasil, Séculos XVI-XX (2 vols., 2006-2007) e O Mito de Portugal (2000).